12 de setembro de 2013

Tudo são fases, estados, no percurso escolar de grande parte dos políticos em Portugal


Da Junta para o Governo, das palavras às "acções", dos insultos para a porrada, da honestidade insuspeita até a "adjudicação" em conformidade, do "quero posso e mando" para a "inocência até transitado em julgado", tudo são fases, estados, no percurso escolar de grande parte dos políticos em Portugal. Uns sobem ao pódium pela mão amiga de um político bem colocado outros sobem a escadaria que começa nos arranjinhos dos partidos, passando pelas "assembleias" locais, às regionais, até o risonho lugar de "Adjunto" e tal, "Secretário", quem sabe, um dia, Ministro.
Exercer cargos públicos com funções políticas devia ser palco para os mais íntegros mas nada que abale os badalados por atitudes menos próprias, tudo é permitido até o "Tribunal" dizer o contrário. "Portugal não pode parar".

Sem comentários: