8 de outubro de 2013

Subvivência


Porque o Governo fala a conta-gotas e desintegradamente, as opiniões são muitas mas em concreto serão poucas. As propaladas Pensões de Sobrevivência deviam ser explicadas e criterizadas para que se possa fazer ilação. Todavia, adiantando a justeza do "baptismo" da pensão e esperando que estas sejam atribuídas no caso, flagrante, de (desamparo, doênça, invalidez, viuvez, não acumulação de outras pensões!) , falar de cortes nas ditas pensões é o maior erro moral deste governo. Não estamos a mencionar pensões de desemprego para adultos ou jovens mas, em muitos casos, em situações de incapacidade e solitude. Temo que este seja o último corte para a subvivência, num país que subvive sem dinheiro e esperança, para muitos. Para muitos. Mesmo que o declínio não seja mera culpa dos odiados cortes.

Sem comentários: