10 de dezembro de 2013

Frederik Willem de Klerk


Frederik Willem de Klerk ainda está vivo mas para a grande imprensa já foi enterrado há muito. Se hoje é justo prestar tributo a Nelson Mandela, como símbolo de pacificação, mais do que como político, este nada poderia ter feito sem o gesto inteligente e agregador de Klerk. Foi este, que libertou Mandela, abriu o seu consulado ao diálogo, terminou com o apartheid, convocou eleições, aceitou ser vice-presidente de Mandela durante o mandato de transição. Dividiu um Prémio Nobel com Mandela. Afastou-se da política sem mordomias. Um homem de gestos notáveis relegado para o seu tempo. O tempo que fez emergir o "gigante da história"*.

* Por cada dia que passa os jornais, paineleiros e opinistas parecem competir pelo melhor epíteto e adjectivo sobre Mandela. Contudo, está-me a parecer que a multidão adoradora está a tornar Mandela na figura que ele nunca procurou ser em vida.

Sem comentários: