18 de janeiro de 2014

José Pereira Herdeiro



Faleceu, ontem pelas 17h30, no Porto, José Pereira Herdeiro. Advogado, exerceu Direito em Portugal e no Brasil, país onde desenvolveu uma paralela carreira empresarial. Homem elite, pelos seus valores e modéstia, pelo seu carácter e altruísmo. Podia ter-se rodeado de bens materiais, fruto do seu sucesso empresarial, por vaidade e snobismo, mas preferiu sempre a reserva e a simplicidade. Filantrôpo, acto fora de moda nos anos que correm, patrocinou edições de autor e a manutenção de acervos e espólios museológicos, apoiava, actualmente, a edição de obras literárias da Casa Amorim de Carvalho. Foi um dos mentores, e o patrocinador, do Museu Escolar Oliveira Lopes, em Válega, Ovar, de onde era natural. Fundou recentemente a "Associação para a Divulgação da Cultura de Língua Portuguesa", a que presidia, e onde pretendia desenvolver, com força, uma das suas paixões: as relações portuguesas com o Brasil, preocupado, que era, com a verdade histórica e a vontade de criar uma rede de acções culturais entre os dois países – sem esquecer, também, os países da CPLP. Era a paixão pelo Brasil, país onde viveu muitos anos, e por Portugal, uma das suas maiores características e uma sua identidade. As multiplicas referências, bibliográficas, que compilou em volta do tema da História do Brasil, com a presença portuguesa, é sintomática e merece ser escrutinada. O Brasil perdeu uma voz defensora, pela argumentação e coerência com que debatia as qualidades, e defeitos, da sua segunda pátria. Entre outras instituições era membro, no Rio de Janeiro, do Clube Regatas Vasco da Gama, da Sociedade Brasileira de Geografia, da Casa do Minho, Real Sociedade Ginástico Clube Português, Real Gabinete Português de Leitura; integrava a Administração do “Projecto Candelária”, e da Irmandade S. S. Candelária, que promove a realização de concertos de música clássica e erudita na Igreja da Candelária, com orquestras sinfónicas de todo o mundo; Conselheiro da Federação das Associações Portuguesas e Luso-Brasileiras, no Rio de Janeiro – que criou em 2008 o projecto “O Infante” (projecto que tem como objectivo fomentar o intercâmbio entre jovens de Portugal e das Comunidades Portuguesas espalhadas pelos cinco continentes). Era, actualmente, Presidente do Rotary Club de Matosinhos.
Desapareceu um Bom Português, porventura será arrogância eu dizer Grande, não um dos grandes "mediatizados" por manobras em vida, mas, como muitos outros anónimos, um Homem vertical, que se valeu por si, muito valioso para a família e os que o rodearam, sem direito a entrevistas, aberturas de telejornais ou patéticos Panteões, como é aconselhável a todos os Homens que não se cingiram a "fazer para aparecer".

Deus Guarde José Pereira Herdeiro

2 comentários:

Anónimo disse...

Conheci bem o josé.Por circunstancias,cheguei a trabalhar na mesma época sua na firma ,que estava sediada no Rio de Janeiro,à Rua do Mrcado No. 14. Diversas vezes estive com êle,quandojá morava em Portugal,na Rua Baldaia e estivemosjuntos pela ultima vez em setembro de 2011,na cidade do Porto.Conheci tambem sua estimada esposa Da. Candida, tambem dotada de uma simpatia inegualàvel. Conservo não só lembranças,como saudadades.Esteja onde estiver ,que o Altissimo,te conceda uma paz eterna. Licinio Lopes de Resende-Rio de janeiro-RJ. Em 31/05/2014

João Amorim disse...

caro Licinio Lopes

Obrigado pela sua mensagem.

cumprimentos,