1 de fevereiro de 2014

Dois saltos


Rever as novas imagens do salto incrível de Felix Baumgartner, em 2012, faz-me pensar o mesmo que escrevi, aqui, algures: por vezes abrimos os braços para o céu, muitas vezes desejamos que o céu nos abrace! Foi o que, me, fez Baumgartner. Depois, temos a terra e os Heróis que dela nos falam. Como o protagonista deste salto que caiu em desgraça após ter dito que não acreditava em Democracia mas numa ditadura moderada – um "salto" tão corajoso quanto a sua rustícidade. Nunca te esquecerei Felix Baumgartner!

Sem comentários: