7 de fevereiro de 2014

Verão pôdre


Mais um livrinho, timidamente editado, sobre um episódio de saneamento e censura perpetrado por aqueles que diziam odiar a censura e os saneamentos do faxismo. O odioso Saramago era, à data, um dos cães de fila da intentona comunista, ávida em instalar uma ditadura muito mais férrea do que a que tinha existido. Pelo meio o "Nobel" ia aprendendo a ler e a escrever, instituindo seitas em proveito próprio, a caminho do seu Spa marxista. Como prémio, os contribuintes pagam-lhe o nome numa Fundação, incluindo os contribuintes comunistas que ladram contra as Fundações. Bem dizem os camaradas, nunca esquecer, especialmente aquele Verão pôdre.

Sem comentários: