27 de março de 2014

Jogar com as cores de Portugal



Pode ser que com o depoimento de Cristiano Ronaldo, quando este diz “O novo equipamento alternativo é impressionante, o branco tem muito estilo e mal posso esperar por o usar em campo”, os portugueses possam começar a ver o atentado que foi a usurpação das cores tradicionalmente Portuguesas: o branco, depois o azul, na cruz armada, posteriormente o azul e branco com as armas medievais e a coroa. As "nossas cores" não são o vermelho e verde da carbonária terrorista, cores assumidas pelos dois partidos republicanos, no séc. XIX, e adoptadas para a bandeira da República. 
A beleza deste equipamento alternativo é relevante e o contraste com o equipamento verde-tinto é surpreendentemente motivador para outros desempenhos. Serei espectador de todos os jogos que a selecção de futebol jogar com este equipamento alternativo, simbolicamente, também alternativo no devir de um novo regime, e não desdenharei de uma gravação, para não esquecer! É que não vá o diabo tecê-las e o povo gostar, este será um equipamento para um campeonato e já será muito que a atrofiante propaganda republicana não perdoa.

Foto: Público

Sem comentários: