24 de março de 2014

Não é triste, é consentâneo


Rem Koolhaas, criticou a forma como "Portugal" se vai representar na Bienal de Veneza, este ano dedicado à Arquitectura e disse: “é muito triste. Ora eu não concordo com o comissário. Rem não é português, se o fosse não diria tal, ao invés, veria que a tristeza é muito portuguesa. O nosso país é triste, o nosso regime é uma lástima, o nosso sistema, democrático (?) é uma dôr de alma. Não teriamos outra vocação que não levar a tristeza para Veneza. Quanto à forma como a vamos enviar eu também a acho triste, consentânea com a nossa pelintreza crónica; vamos editar um jornal e distribuí-lo. Imagino as páginas plenas de erudição, modernidade, inovação. Para o provar, a edição será apenas em inglês e o nome do projecto já nasce na dita língua, "Homeland, News from Portugal"! É triste, Rem, de facto, vamos estar "representados" no formato jornal, o que ao contrário dos críticos até é uma forma "física" de expor, mas não vamos falar a nossa língua, nem pela via de impressão bilingue. Somos assim, Rem, seja aqui ou em Veneza....

Sem comentários: