17 de julho de 2014

Muito medo


Ontem, num jantar de amigos, conversa puxa conversa e o BES entrou na ementa. Nada percebo de engenharias financeiras mas não fiquei indiferente aos avisos de certos amigos avisados sobre o visado na conversa. De um momento para o outro o "sal" tornou-se demasiado para as minhas tensões. Ricardo Salgado passou de modelo a pilantra e os adjectivos não pouparam a nova reputação do banqueiro. Bem me lembro, há bem pouco tempo, do alegado esquecimento de Salgado em não ter declarado ao fisco umas "entradas" de dinheiro, na ordem dos milhões. Tivesse-me eu esquecido e a minha caixa de correio transbordaria de citações e penhoras. Mas, a história de Salgado não se fica pelos assuntos financeiros. A sua ligação a José Sócrates dá que pensar. Um como o outro são homens de ferro e não vacilam à banca-rota e ao arrastão consequente. Eu, pela minha parte, tenho medo. Muito medo.

Sem comentários: