5 de outubro de 2014

Do 5 de Outubro de 1143



Com satisfação, sem admiração, constactei que para a imprensa escrita o dia de hoje é um dia como outro qualquer ou não fosse o dia 5 de Outubro. Mas de facto não é. Hoje comemoram-se 871 anos sobre a nossa nacionalidade. Somos, do ponto de vista formal, um dos países mais antigos do mundo. Sobre esta efeméride nada nas capas dos jornais. Por outro lado, também, nada sobre o outro 5 de Outubro, o da revolução carbonária e terrorista, que pela violência destronou a Monarquia constitucional e com a violência manteve a República. Bem sei que durante o dia de hoje lá estarão as televisões a dar mais um tempo de antena ao sr Presidente da coisa e ao sr. presidente da câmara que agora dizem nos vai guiar com a sua Cruz de Lorena pelo caminho da salvação socialista. A pretexto da revolução terrorista, ida há 104 anos, lá estarão a defender os valores – € – e a ética republicana. Ao contrário destas formalidades, ontem, juntaram-se no Largo de Camões, em Lisboa, numerosas pessoas e lançaram-se 871 balões azuis e brancos, as eternas cores deste país. Podem não escrever a notícia nos jornais, podem omitir e sonegar, mas esta manifestação é mais válida, expressiva e contagiante que qualquer ajuntamento oficial em prol da farsa do regime.

(fotos: Ephemera)

Sem comentários: